Quando um mero telemóvel pode evitar uma ida às urgências

lang

Mon, 26/05/2014 - 11:57 -- admin
Portuguese, Portugal
data de cração: 
05/19/2014
Lead: 
Quando um mero telemóvel pode evitar uma ida às urgências

Quinze doentes do distrito de Viana do Castelo vão a ser monitorizados a partir de casa por médico e enfermeiros. O objectivo é melhorar a qualidade de vida e minimizar o impacto da doença na vida de cada um.

“ Os doentes estão empenhados e motivados para participar no projeto”, garante Rui Nêveda, pneumologista do Hospital de Viana do Castelo e responsável pela monitorização dos 15 doentes que foram ali selecionados. “ Isto não vai representar uma cura para os doentes, eles estão alertados para isso”, explica. Mas vai “ajudá-los a ter melhor qualidade de vida e a evitar idas ao hospital desnecessárias”.

“Sabemos que não é fácil, mas é esse também o trabalho da equipa médica e de enfermagem, bem como da empresa que fornece o material: motivar os doentes, explicar-lhes o que devem fazer”, garante Rui Nêveda, que irá coordenar uma equipa com cinco médicos pneumologistas, três enfermeiros e três técnicos do serviço de Pneumologia, mais 24 enfermeiros dos Cuidados Intensivos que, por escala, vão monitorizar os doentes no período entre as 20:00 e as 08:00 durante a semana e entre as 20.00 de sexta-feira e as 08.00 de segunda-feira.

Certo é que, nos próximos tempos, 15 doentes vão estar constantemente monitorizados e a um telefonema de distância em caso de deteção de alguma anomalia. “Em alguns casos bastará ajustar a medicação ou aconselhar algum tipo de medicamento para baixar a febre e assim evitar uma vinda às urgências que, naturalmente, irá acabar num internamento desnecessário”, assevera Rui Nêveda.

in: Diário de Notícias, 19 de Maio 2014